sexta-feira, 30 de abril de 2010

O 1º de Maio em 2010

Amanhã em todo o país vamos comemorar o dia do trabalhador.


Carvalho da Silva da CGTP-IN

E porque vale sempre a pena lutar, façamos deste dia, um dia festa e de luta para que o caminho do futuro seja outro.

Queixa Arquivada

Afinal «O Conselho Regulador da Entidade Reguladora para a Comunicação Social (ERC) decidiu arquivar o processo relativo “às pressões políticas e económico-financeiras denunciadas pelo director do jornal Sol”, por considerar que não foi possível provar os alegados factos invocados». Notícia do Jornal Público.
Vivemos num país onde raramente estas questões são tratadas e resolvidas por forma a que todos nós fiquemos esclarecidos e não na persistente, incómoda e nublosa... dúvida.
“Considera o Conselho Regulador da ERC que, ponderados os depoimentos prestados perante a ERC e tudo o que foi possível apurar-se na documentação junta ao processo, não ficaram provadas as pressões políticas e económico-financeiras denunciadas pelo director do jornal Sol”, lê-se no comunicado feito pela ERC a propósito da decisão.
É claro e sabido que ninguém aqui ou noutro sítio qualquer,vai mandar para a redacção de um jornal, um papel timbrado, com a finalidade de exercer uma qualquer pressão sobre o que for. Logo como não se recebem esses papeis... não se pode provar nada. Digo eu! que não tendo formação de jurista e interpreta estas matérias com a sabedoria popular.
Para além do mais, fico sempre com a ideia que, o "arquivar de processos" e a "prescrição de processos" na justiça cá do burgo, se vai tornando numa "nova" forma de inocentar e que, se acaba por não «atracar o barco num porto seguro» como seria desejável.
Se calhar também aqui, nestas matérias, teremos que fazer alguma coisa ( não está nada previsto no PEC), para transmitir lá para fora, uma imagem diferente que nos permita ter mais crédito como País organizado.

quarta-feira, 28 de abril de 2010

Vale tudo...

Estamos a entrar numa espiral de ataques aos mais desprotegidos como não se via, vai muito tempo.
Os mercados financeiros, os patrões pela voz dos seus representantes e certos órgãos de comunicação social, estão neste momento, apostados em levar por diante uma campanha contra aqueles que menos podem, e os que mais precisam de ajuda.
Ontem, ao passar por um programa de televisão, vim o Sr. Ângelo Correia dizer (cito de cor) que fica chocado com o facto de haver cidadãos que ganham mais no desemprego do que no activo. Não pode haver demagogia maior e mais descarada, pois como o Sr. Eng. sabe, o subsídio de desemprego é 65% do salário e não é uma esmola que o governo dá a alguém, mas antes fruto dos descontos que os trabalhadores fizeram para o Sistema de Segurança Social com essa finalidade.
Portanto, fica claro que o se pretende é: por um lado deitar poeira para os olhos de alguns, por outro, é o liberalismo no seu ponto mais alto.
Importa recordar que foi esse mesmo liberalismo que pôs as economias aos trambolhões para que alguns ganhassem milhões à tripa-forra e os mais desprotegidos fiquem com a miséria sentada à mesa.

terça-feira, 27 de abril de 2010

Dia de greve nos transportes

Hoje, quem precise de utilizar os transportes públicos na deslocação para o seu emprego ou por outro motivo qualquer, vai certamente passar por dificuldades, em conseguir arranjar transporte.
Estão anunciadas paralisações nas principais transportadoras, com maior relevancia junto das grandes cidades (Lisboa e Porto).
Os trabalhadores do sector dos transportes estão em luta contra o congelamento salarial, o bloqueamento da contratação colectiva na maioria das empresas e contra as privatizações em alguns casos.
Há de facto, um grande descontentamento no seio de todos os trabalhadores, motivado por estas políticas "cegas" do governo, de congelar os salários, sem ter em conta que em anos anteriores estes trabalhadores não tiveram o mesmos tratamento que os outros no que diz respeito a aumentos salariais.
Existe hoje na nossa sociedade, uma forte campanha de (des)informação, no sentido de desvalorizar a natureza do salário, como se ele não fosse a contribuição e retorno devidos pela criação de riqueza por esse mesmo trabalhador, e, além do mais, está explicado e documentado que o combate à crise e o respectivo crescimento económico são possíveis através de outras medidas e não apenas como o governo consubstancia no seu PEC.
Não se vêem condições de vida fáceis para a grande maioria dos trabalhadores no nosso País, mas eles saberão com a sua experiência de luta, encontrar em cada momento a resposta adequada, no sentido em que as suas justas reivindicações sejam atendias.

segunda-feira, 26 de abril de 2010

Novas Portagens



«O memorando da Estradas de Portugal, a que a Lusa teve acesso, tem a data de Outubro de 2006 e refere que "as vias que se quer como alternativas às que actualmente servem em regime de SCUT não possuem características mínimas"».

Afinal como acima se diz, já é há muito tempo, do conhecimento do governo que não existe alternativa ás SCTs. Insistir na questão de querer a todo o custo impor portagens onde está provado que não há alternativa, só pode ser "brincar" com coisas muito sérias ou então os Srs Ministros têm os dossiers nos seus gabinetes e não sabem o que está lá dentro.

Hoje no www.público.pt

«Vários milhares de pessoas marcaram hoje presença no habitual desfile comemorativo do 25 de Abril de 1974, na Avenida da Liberdade, em Lisboa, o que representou a “consciência popular” de um país que “continua a querer Abril de volta”».
É com este texto que o jornal Público inicia uma reportagem da Lusa, feita ontem em Lisboa na Av. da Liberdade. E logo de seguida escreve: «Debaixo de um sol mais próprio de Agosto do que de um dia de Abril, milhares de pessoas, vindas de vários pontos do país, concentraram-se na rotunda do Marquês de Pombal para desfilar pela Avenida da Liberdade abaixo e, entre canções de intervenção que marcaram o dia 25 de Abril de 1974, lembrar os valores que a revolta dos cravos deixou ao país».
"Ao fim de 36 anos, qual a razão funda que leva tanta gente a manifestar-se aqui, em massa, para além das milhares de iniciativas por todo o país? Eu creio que tem a ver com um povo que, apesar de um Abril mutilado, com conquistas e direitos destruídos, continua a querer este Abril de volta”, defendeu Jerónimo de Sousa entrevistado durante o desfile.
Ler artigo completo aqui

domingo, 25 de abril de 2010

O dia da Liberdade

Fica a seguir, uma parte do filme Capitães de Abril, realizado por Maria de Medeiros em 2000, onde nos é recordado um momento importante na queda do fascismo no nosso País. Foi há 36 anos no quartel do Carmo em Lisboa.



Bom domingo e boas comemorações do dia da Liberdade.

sábado, 24 de abril de 2010

Sendo sábado 24 de Abril

Vamos ouvir o Zeca e se quiser, traga outro amigo também e todos os poetas de Abril.



Bom sábado, boas notícias e boa música.

quarta-feira, 21 de abril de 2010

Promessa da ministra

A ministra da Saúde, Ana Jorge, sublinhou hoje o aumento "muito grande" de resposta ao problema dos casais inférteis e prometeu facilitar ainda mais o acesso aos tratamentos.
Destak/Lusa .

Palavras da ministra, ontem no decorrer de uma inauguração na Maia.
Cá estaremos para verificar se esta, não será mais uma promessa falhada por um membro do governo, resultando assim, na frustração total dos casais que alimentam ainda a esperança de poder vir a ter filhos depois de se verem confrontados com o problema de infertilidade.
Como sabemos e como há alguns dias referi aqui no ponta esquerda, essa é uma questão, onde cerca de 10 por cento dos casais que pretendem ter filhos, têm problemas de infertilidade e dado ás dificuldades que o (SNS) coloca e o preço praticado nos privados, leva muita gente a ficar pelo "caminho" e não fazer os tratamentos.
Acredito, que esta "janelinha" agora prometida, permita de facto uma lufada de ar fresco para todos aqueles que têm no seu projecto de vida ter filhos e que até aqui, ainda não os conseguiram ter. Finalmente, esperamos todos que no fundamental esse sonho se realize.

terça-feira, 20 de abril de 2010

Salários

Salários mínimos duplicaram

Hoje no DN por Carla Aguiar

O salário mínimo em Portugal é de 475€.

(...)«Ainda de acordo com o estudo da CGTP, aquele nível remuneratório está longe de afectar apenas a chamada "geração dos 500 euros", que trabalha nos call-centers ou supermercados. "O limiar dos 500 euros é representativo nas indústrias transformadoras, abrangendo 41% dos trabalhadores, atingindo os 73,3% nas indústrias do têxtil, vestuário e calçado e perto de 60% no mobiliário." Nos restantes sectores destacam-se o alojamento e restauração, onde o patamar dos 500 euros representa cerca e metade dos salários ».

Ler artigo completo aqui

segunda-feira, 19 de abril de 2010

Desemprego

Conforme se anuncia no jornal DN, 630 mil desempregados estão ainda hoje sem receber o subsídio referente ao mês de Março.
Como habitualmente o governo manda informar que o motivo é «uma falha informática», por seu turno a CGTP diz que «este é o resultado visível da política do Governo para a função pública, que levou à "saída em massa" de trabalhadores para a reforma, fazendo com que a administração deixe de ter capacidade de resposta e acabe a degradar os serviços que presta».
Penso que os sindicalistas têm razão; porque quando um funcionário sai para a reforma e não é substituído no seu posto de trabalho, sendo o trabalho o mesmo, a capacidade de resposta desse serviço não pode ser a que era dada anteriormente.
De todas as formas, são sempre os mesmos a ser prejudicados por estas "falhas", aqueles que menos têm.
Ler artigo completo aqui

domingo, 18 de abril de 2010

Domingo pode ser dia de cinema

Documentário de 60 minutos.

Realização e argumento de Manuel Mozos


Um olhar atento sobre o passado. Um apelo para a nossa atenção, sobre a perda de alguns elementos que faziam parte da nossa história.

sábado, 17 de abril de 2010

Sendo sábado...



Hoje a proposta é uma voltinha pelo Alentejo.

Bom sábado, boas notícias, bons passeios e boa música.

sexta-feira, 16 de abril de 2010

Gestores não executivos


Quando é que em Portugal, haverá um PEC para estes gestores....???
Depois vêm argumentar para os "papalvos", que as empresas não suportam aumentos salariais.
Ler artigo aqui

quinta-feira, 15 de abril de 2010

O Ministro e os combustíveis

O Ministro da Economia Vieira da Silva não compreende o elevado preço dos combustíveis.
«O nível do preço é muito elevado e nalguns casos é difícil compreender porque é tão elevado. Naturalmente que vou procurar explicações junto das empresas desse sector», assegurou o ministro da Economia, numa entrevista dada ontem a uma estação de televisão.

É no mínimo muito estranho que um ministro venha dizer que não compreende o que se passa à sua volta, no seu ministério, no seu governo, no seu país.
Em relação a estas "trapalhadas" que por vezes nos querem impingir, deixar apenas duas notas.

1- Andará alguém no seu gabinete a passar-lhe a perna?... Ou o ministro da Economia não existe simplesmente, e é um fantasma que chega ao fim de cada mês e se perfila para receber o seu chorudo vencimento, andando ele a fazer outra coisa qualquer.

2- Sabendo nós que hoje, os preços dos combustíveis no consumidor estão muito próximos dos praticados, a quando o barril de petróleo no mercado, chegou praticamente aos 150 dólares e que nesta altura o preço do barril, andará por volta dos 87 dólares e, o ministro da Tutela, diz que « é difícil de compreender» com os empresários do sector a dizerem que esta situação se deve aos impostos que o governo aplica sobre estes produtos, só podemos concluir que este país começa a ficar num lugar onde certas entidades reguladoras do Estado, são inoperantes, ou o governo anda aqui também a "sacar" dinheiro de uma forma não anunciada.

Seja qual for a razão apurada, parece-me que estava certo quem há dias, no café, dizia entre uma bica e um cigarro que este ministro não tem "cu para esta cadeira" e o seu governo não tem capacidade para tirar o país da crise.

terça-feira, 13 de abril de 2010

O que diz a direita

Ontem no programa de televisão sinais de fogo, esteve o actual presidente do PSD, ( Passos Coelho) a "debitar" um conjunto de palavreado e ideias que constituem aquilo que já se sabia naquele partido há muito, ou seja: Portugal tem que privatizar, privatizar, privatizar, privatizar tudo que seja rentável e o Estado ficaria apenas, com aquilo que dá prejuízo. É um ponto-de-vista já muito antigo, este das privatizações, cheira a bolor, ranço e representa na nossa vida política os valores mais à direita que possamos imaginar.
Em relação à Constituição (PC) disse: «está muito pesada»( leia-se tirar o que resta das conquistas de Abril), então o que há a fazer? se calhar...! passá-la para formato digital, digo eu!
Afinal ficam todos a saber que o problema do não desenvolvimento e do parco investimento no nosso país está na malvada Constituição Portuguesa, essa sim, segundo (PC), é a culpada de tudo.
É culpada do face oculta.
É a culpada das vigarices dos gestores da banca (BPN,BPP).
É a culpada do freeport.
É a culpada do Processo Casa Pia.
É a culpada do Cova da Beira.
É a culpada da Operação Furacão.
É a culpada da Un. Independente.
É a culpada do Caso dos Sobreiros.
É a culpada das negociatas dos submarinos. etc,etc,etc.
Mas alguém neste país ou fora dele, acredita, nesta conversa fiada? Eu penso que não.
Quando a maioria do povo diz que é necessário mudar de política, queremos dizer que é necessário uma nova política que defenda os trabalhadores,a classe média, as pequenas e médias empresas e não o contrário que, no fundamental foi o que estiveram o fim-de-semana inteiro a dizer os congressistas do PSD.

segunda-feira, 12 de abril de 2010

Infertilidade

Conforme inquérito que a Deco-Proteste levou a cabo, um em cada dez casais que pretende ter filhos, tem dificuldade em engravidar.
É sabido que as causas são de vária ordem: problemas hormonais, genéticos, algumas doenças, alguns tratamentos, o elevado nível de stresse, obesidade, consumo excessivo de álcool e tabaco, etc.
Hoje em dia, as mulheres experimentam o parto pela primeira vez, em média aos 28 anos sendo que a partir dos 30 anos, a fertilidade diminui e o período até engravidar aumenta.
O diagnóstico da infertilidade é difícil (12 meses de treino e muitos exames),levam a que as causas muitas vezes não sejam apuradas e só uma pequena percentagem continue os tratamentos que podem ser: Indução da ovulação - medicamentos que estimulem a produção de óvulos.
Inseminação intra-uterina - células masculinas entram na cavidade uterina por cateter.
Fertilização in vitro - espermatozóide encontra óvulo no tubo de ensaio.
Todos estes tratamentos, exigem tempo e na maioria dos casos um grande investimento.
Conforme dados recentes, o Serviço Nacional de Saúde apenas consegue atender menos de metade dos casais que precisam de tratamento para a infertilidade.
É claro que com estas dificuldades todas, mais aquelas que são conhecidas de ordem profissional, é natural que ao fim de algum tempo, muitos casais admitem uma vida sem crianças e outros (poucos), procurem a adopção como forma de resolver um problema que mais uma vez a "sociedade" não teve capacidade para ajudar a resolver.
Numa altura em que é reconhecido por todos, a situação existente no País que, se vai transformando numa sociedade de velhos e sem capacidade de se renovar seria muito importante que as políticas no Ministério da Saúde, fossem outras por forma a ajudarem a resolver este problema geracional que tão importante se revela, para continuarmos a ser um País com futuro.

domingo, 11 de abril de 2010

sábado, 10 de abril de 2010

Sendo sábado, temos música



Hoje, Voltei ao "baú", para recordar este tema(na bela voz de Gal Costa), que me transporta à minha juventude de tão boas recordações musicais.

Bom sábado, boas notícias e boa música.

sexta-feira, 9 de abril de 2010

Hoje



Não é engano, a data está certa, estamos prestes a comemorar os 36 anos após o 25 de Abril.Contudo,«isto... é o entendimento da democracia e do respeito pelas leis deste país, dos senhores do capital». Estes comportamentos do patronato, só podem ser compagináveis com as políticas de direita que os sucessivos governos do PS, do PPD/PSD e CDS vêm fazendo durante estes anos, e só com a luta dos trabalhadores podem ser alterados.

quinta-feira, 8 de abril de 2010

Economia

Portugal é um País pobre com muito dinheiro.

Vêm isto a propósito ainda, do já muito falado e lamentado salário do António Mexia, presidente executivo da EDP, que ao que consta, entre vencimento e prémios, no ano passado foi de 3,1 milhões de euros.
É um vergonha, dizem muitos. A maioria dos portugueses diz que é um "roubo" «ás suas condições de vida» porque no fundo o que se trata aqui é de «tirar à maioria para dar a uma meia dúzia» aquilo que deveria ser justamente distribuído, em função da riqueza produzida.
Não se consegue explicar com coerência, como é que se dá tanto dinheiro a uma pessoa só, quando se anda ao mesmo tempo a impor dificuldades à maioria do povo, defendendo e aprovando o tão famigerado PEC que, a ser aplicado como tal, seria um espalhar de miséria pelas casas das famílias no nosso país.
Lembro que estou a referir-me a um GEO da EDP, empresa onde o Estado tem uma participação de 20,49 por cento através da Parpública, e 5,24 por cento via Caixa Geral de Depósitos e que o referido António Mexia é só, um dos mais bem pagos a nível europeu no sector energético. Andando a EDP à muito tempo a reivindicar o aumento da electricidade aos consumidores, resta perguntar para quê, com que finalidade?... Que responda quem souber. Por mim entendo que todos nós sabemos. É de facto isso, «o que faz falta é avisar a malta».

terça-feira, 6 de abril de 2010

Temporal no Rio de Janeiro



A chuva forte que cai sobre o Rio de Janeiro desde ontem à tarde, já matou pelo menos 77 pessoas, segundo informação do secretário estatual de Saúde e Defesa civil, Sergio Côrtes.
A forte chuvada, causou enormes problemas a quem se dirigia do trabalho para suas casas, chegando mesmo, algumas pessoas a terem que passar a noite nos próprios transportes e outros em hotéis próximo do trabalho.
O tempo por ali - segundo informação oficial- irá manter-se instável até quarta feira.


Foto de Márcia Foleto, Ag. O Globo

Fonte: O Globo.com

Adenda: Infelizmente,hoje dia 8 de Abril, o número de mortos é maior. Já são quase duas centenas, dizem os orgãos de informação.

Valença, cidade portuguesa de bandeira espanhola



Dizem os Valencianos que esta acção,ainda que de uma forma simbólica,visa um gesto de agradecimento ao alcaide de Tui, na Galiza, pela total disponibilidade que demonstrou para tratar os doentes portugueses ( após o encerramento do SAP nesta cidade), no Centro de Saúde de Tui que fica a menos de cinco minutos e onde não se paga taxas moderadoras.
Os habitantes de Valença, apreciaram este gesto do alcaide de Tui, sobretudo quando este referiu: que se necessário iria reforçar o pessoal médico e de enfermagem caso fosse necessário com maior afluência de doentes portugueses.
Ora aqui está, um autarca espanhol a colocar-se do lado da resolução do problema que afecta a população de Valença, criado pelo Ministério da Saúde de Portugal.

segunda-feira, 5 de abril de 2010

Exclusão

José Sócrates assinou 21 projectos de casas quando era exclusivo da AR.

05.04.2010 - José António Cerejo.

Hoje no Público.PT

«Duas repreensões por unanimidade, ameaças de sanções legais e severas críticas dos serviços camarários foram o resultado dos últimos anos da actividade de José Sócrates como projectista de edifícios na Guarda, entre 1987 e 1991».

Ler trabalho completo aqui.

Mais uma página nada dignificante, para quem permanentemente se arroga de muito rigoroso.

domingo, 4 de abril de 2010

Isto também é Portugal



Que bonito ficaria o meu País, se não houvesse tantas casas em ruína.
Que bonito ficaria o meu País, se não houvesse tantos carros nas cidades.
Que bonito ficaria o meu País, se aos domingos e feriados os jardins e os parques das cidades estivessem repletos de gente feliz.
Que bonito ficaria o meu País, se todas as cidades tivessem muitos parques infantis, cheios de crianças a brincar.
Que bonito ficaria o meu País, se as "grandes superfícies" comerciais, fechassem ao domingo.
Que bonito ficaria o meu País, se o seu governo quisesse, pôr estes temas na agenda política e na ordem do dia. Que bonito ficaria o meu País...

Bom domingo com grandes passeios.

sábado, 3 de abril de 2010

Sendo sábado...

A minha sugestão musical para hoje é Retalhos.



Aos versos do grande Poeta Ary dos Santos, juntou-se a doce e cristalina voz de Luanda Cozzeti.

Um grande resto de férias, bom sábado, boas notícias e boa música.