segunda-feira, 31 de janeiro de 2011

Universidades

Neste momento, nas universidades portuguesas, estão a decorrer inquéritos para saber o motivo que leva tantos estudantes a cancelar as inscrições.
Os que os resultados destes inquéritos, certamente irão dizer é que tudo isto se deve às políticas do Governo para a educação  que  se resume na prática  de cortes constantes nos apoios sociais, aos estudantes do ensino superior.

domingo, 30 de janeiro de 2011

Polémica na Madeira...

...o "mercado de transferências" agita-se na Madeira, com a luta pelos direitos de imagem do candidato Coelho.

Egipto


Vai em seis dias os confrontos entre manifestantes e a policia em varias cidades do Egipto.
A pesar do recolher obrigatório, decretado pelo regime do Presidente Hosni Mubarak, os manifestantes resolvem não respeitar essa ordem e desafiar as polícias e os militares, encontrando-se as praças e as ruas repletas de manifestantes.
Para mais informação ler aqui  um trabalho do de Robert  Fisk, no Cairo.

Hoje pode ser dia de cinema (28)

O Mágico




Sinopse
Quando a arte do ilusionismo dava os últimos passos, um mágico "entertainer", afastado dos palcos da cidade, vê-se obrigado a apresentar o seu "show" num dos “pubs” da costa ocidental escocesa, onde encontra Alice, uma jovem inocente, que mudará para sempre a sua vida… "O Mágico" é uma comovente carta de amor de um pai para a sua filha. «sapocinema»


Bom domingo, boas notícias e bons filmes.

sábado, 29 de janeiro de 2011

Sendo sábado, temos música (70)

Diabo na Cruz,
« A intenção é trazer para o léxico da música pop portuguesa de tudo um pouco que nos vem à memória»



Tão Lindo
Entre ruínas fui criado
Foi farado viu nascer
Ó menina tem cuidado
A dança é com pés no chão
Diz-se cobras e lagartos
Da obra que eu fiz erguer
Só que as vigas tão fundadas
E um dia haverá razão
Não adianta ver o todo pela metade
Siga o caminho direito no senhor

A lebre está no prado,
As silvas no silvado, olé,
Ai é tão lindo,
Ai é tão lindo!

Tony Silva cante o fado
Que a rainha já morreu
Quem tem cu vê com atraso
Em César o que é seu
Já dizia o seu Gonçalves
Emigrado no Gerês
Onde é que hoje se penhora
O mundo em português?
Os mensageiros da luso tempestade
Já eram fufas muito antes do prior

Há festa na herdade
Se o amo acorda tarde, olé,
Ai é tão lindo,
Ai é tão lindo!

A lebre está no prado,
As silvas no silvado, olé,
Ai é tão lindo,
Ai é tão lindo!

Bom sábado, boas notícias e boa música.

quinta-feira, 27 de janeiro de 2011

A rede...

...ainda somos uma sociedade onde muita gente sem escrúpulos e sem princípios, pensa "ganhar" dinheiro de todo o modo e não olha a meios para atingir os fins.

quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

Aumentos nos transportes

Depois de ter entrado em vigor no passado dia 1 de Janeiro o aumento dos passes sociais de 3,5% e de 4,5% para as restantes tarifas, o Ministro António Mendonça, ontem à saída de uma audição na comissão parlamentar de Obras Públicas Transportes e Comunicações afirmou aos jornalistas “Há muitos factores que são imponderáveis e, portanto, não podemos assumir compromissos relativamente a essa matéria [aumento do preço dos transportes públicos], nem que vão aumentar, nem que não vão aumentar”. Claro, quando o Ministro responde assim... é de pensar que novos aumentos se perfilam aí, o que, para o bolso do Senhor António Mendonça nada quer dizer, porque transportes públicos é coisa que ele não utiliza.

  

terça-feira, 25 de janeiro de 2011

A luta dos professores



Os professores estão novamente em luta pelos seus direitos, desta vez contra o corte dos salários decretado pelo Governo.

Despedimentos vão ficar mais baratos aos patrões

...
Pagar compensações mais baixas por despedimento ou fim de contrato a prazo, com parte do dinheiro a sair de um fundo a criar pelas empresas. O Governo propôs, ontem, segunda-feira, várias medidas já defendidas pelas confederações patronais. CGTP recusa liminarmente. «JN»

Quando um Governo que se reclama do Partido Socialista e a Ministra do Trabalho desse mesmo Governo se diz ex- sindicalista da UGT, se propõem aplicar leis destas - sempre contra os trabalhadores, - é preciso dizer que, provávelmente, a formação política nas  universidades onde esta gente se formou  deve andar toda distorcida, confusa e  baralhada.

segunda-feira, 24 de janeiro de 2011

Insentivos à precaridade

Arménio Carlos da CGTP-IN denunciava ontem que o Estado por via da Segurança Social vai continuar a financiar (por via da redução da taxa social única), a contratação dos jovens e desempregados de longa duração, sem que as empresas tenham de garantir a manutenção dos postos de trabalho  para além dos três anos, sendo este o limite dos contratos a prazo.

 Entende a Central Sindical e concordamos nós que esta não será certamente a melhor maneira de incentivar as empresas à criação de novos postos de trabalho. Em muitas situações  as empresas desfazem-se de trabalhadores com contratos  mais antigos, vindo depois a contratar novos trabalhadores pela via do incentivo, o que na prática quer dizer: aumentar a precaridade e, desta forma com o apoio do Estado.

De acordo com as medidas de apoio à contratação em vigor, as empresas que contratarem jovens até aos 30 anos e os mantenham durante três anos, ficam isentas de descontos no primeiro ano, beneficiam de uma redução da taxa social única de 25% no segundo ano e de 50% no terceiro.

Segundo dados apurados, o valor deste apoio no âmbito da Ineciativa Emprego no ano passado foi de 77 milhões de euros. 

Em Portugal existem cerca de 745 mil trabalhadores a prazo, sendo cerca de  20% por conta de outrem, o que  significa de facto, não ser esta a forma mais correcta para resolver  o problema. Não tendo o Governo  disponibilidade  para fazer aprovar - em Concertação Social - a proposta que passaria de três para cinco anos o tempo de contrato obrigatório para estas condições, apenas contribui, uma vez mais, para beneficiar os empresários em prejuízo dos trabalhadores e da economia nacional. Porque não é com salários baixos e com o aumento da precaridade que a economia de um País se reestabelece.


Ainda os resultados

Para os estudiosos destas questões (eleições e os respectivos resultados), aqui fica a possibilidade de o fazer através deste trabalho do Jornal Público. 

domingo, 23 de janeiro de 2011

Os resultados

Ainda sem resultados finais, os  portugueses que votaram nestas eleições resolveram  eleger novamente Cavaco Silva para Presidente da República por mais cinco anos e, com isso, continuar as políticas dos cortes sociais, dos cortes salariais, do aumento do desemprego e da miséria a entrar cada vez mais nas casas portuguesas.

Para os  muitos que votaram na candidatura da mudança (Francisco Lopes), amanhã é dia de continuar a luta porque o que faz sentido afirmar - sem desânimos nem tristezas - é: a luta vai continuar!

Vote!




É fundamental não deixarmos de exercer este  direito, conquistado por todos aqueles que se bateram pela Liberdade e pela Democracia.

sábado, 22 de janeiro de 2011

Sendo sábado, temos música. (69)

Hoje,vamos para a nova música popular portuguesa.
Esta dupla de Beja,com o nome Virgem Suta, pretende com o seu trabalho «relembrar a tradição portuguesa com um olhar contemporânio».

Ora então, apreciem lá!




Tomo conta desta tua casa
Imprópria para amar, sei lá porquê
Não consigo agarrar o que me resta
Pedaços do que foste, e ninguém vê

Rendido ao teu sofá, nele me encontro
Repouso agora em sono mal dormido
Pretendo esclarecer o desencontro
Do nosso amor que há muito anda perdido

Eu sei
Que não é fácil conversar nem decidir
Nem tudo é falso e sem cor vamos mentir
Que a perversão será ainda mais real

Eu sei
Que não é fácil conversar nem decidir
Nem tudo é falso e sem cor vamos mentir
Que a perversão será ainda mais real

A leve embriaguez passa a febre
Num quente desconforto de um mendigo
Que aguarda numa esperança duvidosa
O gesto carinhoso de um abrigo

Pensar, sentir, querer, é tão confuso
A sensação da dor está revelada
Agora o que fazemos de nós dois?
Vivemos como se não fosse nada

Eu sei
Que não é fácil conversar nem decidir
Nem tudo é falso e sem cor vamos mentir
Que a perversão será ainda mais real

Eu sei
Que não é fácil conversar nem decidir
Nem tudo é falso e sem cor vamos mentir
Que a perversão será ainda mais real

Bom sábado, boas notícias e boa música.

sexta-feira, 21 de janeiro de 2011

Ruas cheias de gente


Ontem nas ruas de Lisboa e ao fim do dia em Almada num comício na Academia Almadense, Francisco Lopes teve uma vez mais centenas e centenas de apoiantes e activistas de sua candidatura numa demonstração clara que o voto no Francisco Lopes, é o voto certo na mudança necessária.

quinta-feira, 20 de janeiro de 2011

A melhor Campanha nestas Eleições


A campanha de Francisco Lopes é já considerada por muitos como a melhor campanha nestas eleições. Mais esclarecedora, mais rigorosa e sem demagogias.
É preciso chamar as coisas pelos nomes como faz Francisco Lopes, denunciando o que está errado, exigindo a alteração necessária no rumo das políticas, para que o Alentejo e o resto do País volte a ser um local onde sabe bem viver.
É por isso, também, que no domingo se espera uma grande votação em Francisco Lopes.

quarta-feira, 19 de janeiro de 2011

A escolha

Ontem à noite em Alpiarça, Francisco Lopes, colocou a pergunta seguinte:

"Há alguma candidatura que esteja em melhores condições de contribuir para derrotar Cavaco Silva numa segunda volta do que a minha, que nada tem a ver com a política de desastre deste Governo?" que "não tem nada a ver com este rumo que afundou o país".

Para Francisco Lopes, no próximo dia 23, os eleitores estarão confrontados com "duas escolhas possíveis": ou a sua candidatura, "vinculada aos valores de Abril, patriótica e de esquerda, com projecto de futuro", ou as "outras candidaturas, que estão comprometidas com o rumo de afundamento nacional e propõem a sua continuação". «Fonte Lusa»

Espero eu e muitos eleitores certamente, que a escolha no dia 23 seja a escolha da candidatura que se identifica com os valores de Abril e, por isso, só pode ser a de Francisco Lopes.

terça-feira, 18 de janeiro de 2011

Ary dos Santos

Faz hoje 27 anos que o Poeta do Povo e da Liberdade nos deixou.




Para que a memória não se apague, deixo aqui  um dos seus muitos poemas, este, feito em homenagem aos resistentes que lutaram e morreram pela Liberdade.







Aos mortos vivos do Tarrafal

Ao cabo de Cabo Verde
dobrado o cabo da guerra
quando o mar sabia a sede
e o sangue sabia a terra
acabou por ser mais forte
a esperança perseguida
porque aconteceu a morte
sem que se acabasse a vida.
Ao cabo de Cabo Verde
no campo do Tarrafal
é que o futuro se ergue
verde-rubro Portugal
é que o passado se perde
na tumba colonial,
ao cabo de Cabo Verde
não morreu o ideal.
Entre o chicote e a malária
entre a fome e as bilioses
os mártires da classe operária
recuperam suas vozes.
E vêm dizer aqui
do cabo de Cabo Verde
que não morreram ali
porque a esperança não se perde.
Bento Gonçalves torneiro
ainda trabalhas o ferro
deste povo verdadeiro
sem a ferrugem do erro.
Caldeira de nome Alfredo
fervilham no teu caixão
contra o ódio e contra o medo
gérmens de trigo e de pão.
E tu também Araújo
e tu também Castelhano
e também cada marujo
que morreu a todo o pano.
Todos vivos! Todos nossos!
vinte trinta cem ou mil
nenhum de vós é só ossos
sois todos cravos de Abril!
No campo do Tarrafal
no sítio da frigideira
hasteava Portugal
a sua maior bandeira.
Bandeira feita em segredo
com as agulhas das dores
pois o tempo do degredo
mudava o sentido às cores:
o verde de Cabo Verde
o chão da reforma agrária
e o Sol vermelho esta sede
duma água proletária.
Do cabo de Cabo Verde
chegam tão vivos os mortos
que um monumento se ergue
para cama dos seus corpos.
Pois se o sono é como o vento
que motiva um golpe de asa
é a vida o monumento
dos que voltaram a casa.

José Carlos Ary dos Santos(poema feito aquando da trasladação para Portugal dos restos mortais dos 32 resistentes assassinados no Tarrafal)

segunda-feira, 17 de janeiro de 2011

A confusão

Algumas perguntas para reflexão:
Afinal  que (des)Governo é este onde cada um diz o que lhe vem à cabeça?
Há quanto tempo Sócrates não fala com Luís Amado?
Será que este anda a tentar tramar o outro?
Seria bom  para todos nós saber-se finalmente o que andam tanta gente a fazer no Qatar, a dar esta imagem de gente que, «fala do que não sabe e não sabe do que fala».
Quem não conheça o actual Governo de Portugal e seja hoje confrontado com tamanha contradição...nas afirmações prestadas em torno do mesmo assunto,  pensará seguramente (com alguma razão), que os Senhores foram para o Qatar de férias em vez de tratar de assuntos de Estado.

E você o que pensa??

domingo, 16 de janeiro de 2011

Hoje, domingo, no Campo Pequeno

Foram mais de 6000 os participantes no grande comício da candidatura de Francisco Lopes hoje no Campo Pequeno em Lisboa.

Uma das mais participadas iniciativas nesta campanha eleitoral entre todas as candidaturas, o que mostra bem o apoio popular que todos os dias vai crescendo em torno de Francisco Lopes.




Hoje pode ser dia de cinema (27)

Xeque à Rainha


Sinopse

Hélène é uma empregada de Hotel que vive feliz numa pequena aldeia da Córsega com o marido Ange e a sua filha de 15 anos, Lisa. Uma mulher modesta e discreta, Hélène vive uma vida previsível e tranquila. Um dia, numa limpeza rotineira a um quarto, Hélène repara em duas pessoas a jogar xadrez e apaixona-se pelo jogo real. A sua curiosidade para com o xadrez rapidamente se torna numa obsessão em dominar as regras do jogo e em se tornar especialista. Para isso, ela utiliza a ajuda do Dr. Kröger, um dos habitantes mais misteriosos da aldeia. Mas essa metamorfose para uma nova vida também vai mudar o seu relacionamento com a sua família, amigos e toda a aldeia. «sapocinema»

Bom domingo, boas notícias e bons filmes.

sábado, 15 de janeiro de 2011

Sendo sábado, temos música (68)

Penso que os vampiros que o Zeca tantas vezes cantou e que hoje deixo aqui, representa bem o estado actual do nosso País.

Faço votos para quando no próximo dia 23, no acto de fazer a cruz no boletim de voto, os portugueses se lembrem dos "vampiros" que por aí vão continuando a sugar...




No céu cinzento sob o astro mudo
Batendo as asas pela noite calada

Vêm em bandos com pés de veludo
Chupar o sangue fresco da manada
Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhes franqueia as portas à chegada
Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada [bis]

A toda a parte chegam os vampiros
Poisam nos prédios poisam nas calçadas
Trazem no ventre despojos antigos
Mas nada os prende às vidas acabadas

São os mordomos do universo todo
Senhores à força mandadores sem lei
Enchem as tulhas bebem vinho novo
Dançam a ronda no pinhal do rei

Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada

No chão do medo tombam os vencidos
Ouvem-se os gritos na noite abafada
Jazem nos fossos vítimas dum credo
E não se esgota o sangue da manada

Se alguém se engana com seu ar sisudo
E lhe franqueia as portas à chegada
Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada

Eles comem tudo eles comem tudo
Eles comem tudo e não deixam nada

Bom sábado, boas notícias e boa música.

sexta-feira, 14 de janeiro de 2011

Mães trabalhadoras

...
Apenas 28 por cento das empresas nacionais tem a intenção de contratar mães trabalhadoras em 2011, embora 43 por cento planeie contratar novo pessoal. «Público»

Num País onde grande parte dos empresários - porque há excepções - pensa desta forma, muito terá que ser feito para que o seu povo esteja ao mesmo nível  das sociedades mais justas e seja por isso mais solidário. Onde, os seus empresários tenham como deveriam ter já preocupações sociais na criação de postos de trabalho, na contratação dos seus colaboradores, e, não pensarem apenas  só no lucro encarando a contratação como uma questão qualquer de investimento .

 A riqueza de um País também se cria por esta via. Pela prática da «igualdade de oportunidades» no trabalho.

quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

O kit

Se está a pensar ir levantar dinheiro ou pagar as suas contas no multibanco será melhor levar o kit (luvas e máscara) de higiene e segurança. Ou, se calhar, o melhor será começar a usa-lo logo à saída de casa.

Segundo um estudo referido pelo Jornal de Notícias as caixas do multibanco, os telefones públicos, as paragens de autocarro, o interior e os assentos do metro e dos autocarros,  as estações de caminho-de-ferro e as casas de banho públicas, serão alguns dos  locais mais sujos de uma cidade.

De facto já todos nós reparamos variadas vezes como é real a falta de limpeza nos locais acima referidos. Eu julgo que uma das formas de tentar melhorar este problema seria ( todos nós ),  reclamar-mos mais vezes junto dos responsáveis pela falta de higiene visível, nos mais variados equipamentos públicos que diariamente utilizamos.

quarta-feira, 12 de janeiro de 2011

O cenário

...
Mais desemprego, impostos, juros e inflação e menos salários, subsídios e crédito: é este o cenário traçado pelo Banco de Portugal às famílias, antecipando uma recessão. Admite, ainda, novas medidas de contenção. Hoje, o país volta a pedir dinheiro aos mercados internacionais. «JN»

Este é o cenário que o Banco de Portugal levanta para os próximos dois anos, para este País à beira mar plantado.
Infelizmente, não é nada que já não tenha sido dito e de forma avisada aos responsáveis políticos que na Assembleia da República juntamente com a Presidência da Republica, aprovaram o Orçamento do Estado para 2011.

Já na altura o PCP, pela voz dos seus deputados disse:  o que estava vertido naquele orçamento era garantir que, «grandes lucros para alguns» fossem conseguidos à custa de «grandes sacrifícios para muitos».
«Os especuladores que provocaram a crise aumentarão os seus lucros e ficarão mais ricos. Os trabalhadores, os reformados, os pensionistas, os desempregados os jovens à procura de emprego ficarão mais pobres, mais expostos à precaridade, mais fracos perante a prepotência dos poderosos» e o nosso País caminhará assim... para o abismo e para a pobreza generalizada. Para mal de muitos as notícias confirmam tudo o que acima fica referido.

Aqui chegados e já que estamos em tempo de eleições, é também por estas razões que no próximo dia 23 se impõe a obrigação de ir-mos votar e votar numa candidatura que proponha o rotura com esta política de desastre que nos tem conduzido nos últimos trinta e muitos anos. Essa candidatura só pode ser a de Francisco Lopes que, pela sua capacidade e firmeza política, pelo conhecimento  profundo  das reais dificuldades por que muitos portugueses estão a passar e, por ser a única candidatura presente a estas eleições que não está comprometida com a actual situação económica do nosso País.

terça-feira, 11 de janeiro de 2011

José Mourinho

O prémio melhor treinador do ano foi atribuído ontem ao fim do dia em Genebra a José Mourinho, como tantos outros portugueses, competente e rigoroso na sua profissão. Parabéns José!

segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

Os salários em Portugal e a competitividade das empresas.


Pode ler AQUI  o trabalho de Eugénio Rosa e verificar que a argumentação dos patrões e do Governo (a falta de competitividade das empresas estar nos altos salários), martelada constantemente nos meios de comunicação pelos papagaios de serviço, não tem qualquer sustentação nos presentes dados do INE.

O BPN e a campanha eleitoral


Passo a transcrever a crónica de Honório Novo no Jornal  de Notícias  públicada hoje, com o título acima referido.


Da teia montada por Oliveira e Costa para se autofinanciar e às empresas e administradores do grupo SLN/BPN, o que mais interessa aos portugueses é saber se os criminosos foram condenados e saber quanto é que a "nacionalização dos prejuízos do banco" já custou e vai custar ao país e a quem trabalha. Quanto à primeira questão, a resposta é negativa. Dois anos depois, só agora há alguns acusados, parecendo, a quem esteve no miolo da Comissão de Inquérito ao BPN, que faltarão alguns na lista de acusados. Casos semelhantes ao BPN por esse mundo fora condenaram em seis meses os "salteadores" locais, o que permite avaliar bem o estado a que o PS e o PSD conduziram a Justiça em Portugal...

Quanto aos prejuízos, é importante conhecer todos os responsáveis pela solução adoptada.

Desde a descoberta do crime, há dois anos, defendemos sozinhos que se devia nacionalizar todo o grupo SLN/BPN. Era aí que estavam os activos capazes de cobrir o buracão que todos (mesmo o Governo e o Banco de Portugal) sabiam haver no BPN. Agora, muitos mais defendem a solução que na altura rejeitaram ou desprezaram, desde Campos e Cunha (veja-se o texto no "Público" de sexta-feira), ao Bloco de Esquerda. Registamos...

Quem na altura (o Governo e o PS) propôs que se nacionalizasse apenas o BPN (isto é os prejuízos), e não todo o grupo, os que votaram a favor dessa solução (o BE), os que a viabilizaram pela abstenção (o PSD e o CDS-PP), e ainda Cavaco Silva, que a promulgou sem pestanejar, são responsáveis políticos pelo buraco do BPN estar a ser pago pelos nossos impostos, num valor não inferior (se formos muito optimistas), a 2000 milhões de euros, mais de 1% do PIB.

Cavaco Silva bem sabe que foi alvo de tratamento de favor por Oliveira e Costa, o "capo" do BPN. Mas responsáveis pela factura do banco há muitos mais...

hn@pcp.parlamento.pt

domingo, 9 de janeiro de 2011

A candidatura que se afirma como a única alternativa



Realizou-se hoje a primeira acção do período oficial de campanha da candidatura de Francisco Lopes: um enorme comício que encheu o Palácio de Cristal, no Porto, onde se afirmou bem alto que nestas eleições só há uma alternativa aos trabalhadores e a todos os atingidos pela direita e a sua política (de PS/PSD/CDS): o voto em Francisco Lopes para efectiva uma ruptura e mudança. «Francisco Lopes.PT»

Vitor Alves (1935-2011)

Hoje pode ser dia de cinema (26)


TULPAN
Sinopse
Após ter completado o serviço militar na marinha, o jovem Asa regressa à estepe Cazaque onde a irmã e o marido pastor desta levam uma existência nómada. Para começar a sua nova vida, o impaciente Asa tem de se casar antes de poder, por sua vez, tornar-se pastor. A única esperança que Asa tem de se casar na estepe deserta reside em Tulpan, a filha de outra família de pastores. O pobre Asa fica desiludido ao saber que Tulpan não gosta dele por achar que tem as orelhas demasiado grandes. Mas Asa não desiste e continua a sonhar com uma vida que poderá não ser possível na estepe... «sapocinema»

sábado, 8 de janeiro de 2011

Sendo sábado, temos música. (67)

Hoje, novamente de volta ao baú de recordações, encontrei este trabalho de Rosario Flores.



De por qué te estoy queriendo, no me pidas la razón
Pues yo mismo no me entiendo con mi propio corazón
Al llegar la madrugada mi canción desesperada
Te dará la explicación

Te quiero vida mía, te quiero noche y día
No he querido nunca así, te quiero con ternura
Con miedo, con locura, sólo vivo para ti

Yo te seré siempre fiel, pues para mí quiero en flor
Ese clavel de tu piel y de tu amor

Mi voz igual que un niño te pide con cariño
"Ven mi, abrázame"
porque te quiero te quiero, te quiero
te quiero, te quiero, te quiero
Y hasta el fin te querré

Te quiero con ternura
Con miedo, con locura, sólo vivo para ti

Yo te seré siempre fiel, pues para mí quiero en flor
Ese clavel de tu piel y de tu amor

Mi voz igual que un niño te pide con cariño:
"Ven a mi, abrázame"
porque te quiero te quiero, te quiero
te quiero, te quiero, te quiero
Y hasta el fin te querré
Y hasta el fin te querré

Bom sábado, boas notícias e boa música.

quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

A entrevista



Francisco Lopes esteve ontem na «Grande Entrevista»  da RTP1 demonstrando uma vez mais ser a sua candidatura  a única alternativa que se apresenta a estas eleições capaz da mudança que o País tanto precisa.
Francisco Lopes foi firme e rigoroso naquilo que são as suas propostas, não se deixou envolver em polémicas que apenas contribuem para alimentar "caixas de primeira página" com o fim de esconder  o essencial  que deve ser discutido nesta campanha.
Também por isso, os apoios a esta candidatura estão a crescer todos os dias, dando assim  um sinal claro que Francisco Lopes, nestas eleições,  representa  os interesses dos mais prejudicados, dos mais desfavorecidos e todos   aqueles que querem ver uma rotura e uma mudança nesta política que vai conduzindo o País e os portugueses ao abismo.

quarta-feira, 5 de janeiro de 2011

Malangatana ( 1936-2011)



Hoje, a cultura de língua portuguesa e do mundo ficou mais pobre com o falecimento do pintor moçambicano Malangatana.

O candidato


Notíciam os jornais que Cavaco Silva ontem, durante a visita ao arquipélago dos Açores, teria  respondido a uma pergunta relacionada com o "caso BPN" que «estava de consciência tranquila e de cabeça levantada».
Um candidato em campanha  à Presidencia da República não deverá perante a comunicação social, responder só a questões que dizem respeito à  Magistratura, mas também a todas as outras  ( e de forma clara) , que lhe são colocadas e, especialmente àquelas que interferem com os valores éticos e morais, para que não fique qualquer suspeição sobre o candidato. Ora esse parece não ser o caminho escolhido pelo candidato Cavaco Silva; dizer que está de «consciência tranquila e de cabeça levantada », e, dizer apenas isso... é não querer dizer nada e não dizer nada nestas matérias, só é admissivel aos candidatos a eleições nas "Repúblicas das Bananas".

segunda-feira, 3 de janeiro de 2011

As contas no Serviço Comum dos Hospitais

...
"Despesismo injustificado", é como o TC classifica os bónus atribuídos "por objectivos de cobranças, no biénio 2007-2008, aos três directores comerciais no total de 129,75 mil euros". A este valor acrescem "11,7 mil euros a outros colaboradores" e um novo prémio de 12,5 mil euros, "a título de trabalhador do ano, a um dos directores comerciais" já antes premiado. «Jornal o I»

Está o leitor a perceber por que é que os pobres em Portugal têm que pagar taxas moderadoras na saúde, remédios e exames médicos mais caros? Pois é, como refere o trabalho do Tribunal de Contas (publicado hoje no jornal i), para pagar prémios indevidos a gestores com  resultados negativos (4,4 milhões em 2008 e de 5 milhões, em 2009) e, os mesmos senhores se poderem transportar em "viaturas com cilindrada superior a 2.0 e igual ou inferior a 2.7", com "valores de renting mensais entre os 800 e os 1150 euros e sem limites anuais de despesas com a utilização de viaturas". Assim sendo e,como o dinheiro não chega para tudo tira-se aos que menos têm. 

Talvez assim... se fique a perceber melhor porque somos um País com muitos pobres.

domingo, 2 de janeiro de 2011

Concerto de Ano Novo



Concerto de Ano Novo pela Orquestra Metropolitana de Lisboa com o maestro  Mark Laycock , no Teatro Municipal de Almada, amanhã dia 3 de Janeiro pelas 21h30 .
Mais informação aqui.

Tomada de posse

Foto:REUTERS/UESLES MARCELINO
O quadragésimo Presidente do Brasil Tomou ontem posse, é uma mulher, chama-se Dilma Rousseff, tem 63 anos e é a primeira vez que na História daquele País uma mulher vai ocupar  aquele cargo. Que o seu mandato seja marcado pela realização das suas promessas eleitorais, são os votos de Ponta Esquerda.

sábado, 1 de janeiro de 2011

Sendo sábado, temos música (66)

O Primeiro Dia



A principio é simples, anda-se sózinho
passa-se nas ruas bem devagarinho
está-se bem no silêncio e no borborinho
bebe-se as certezas num copo de vinho
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Pouco a pouco o passo faz-se vagabundo
dá-se a volta ao medo, dá-se a volta ao mundo
diz-se do passado, que está moribundo
bebe-se o alento num copo sem fundo
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E é então que amigos nos oferecem leito
entra-se cansado e sai-se refeito
luta-se por tudo o que se leva a peito
bebe-se, come-se e alguém nos diz: bom proveito
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Depois vêm cansaços e o corpo fraqueja
olha-se para dentro e já pouco sobeja
pede-se o descanso, por curto que seja
apagam-se dúvidas num mar de cerveja
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

Enfim duma escolha faz-se um desafio
enfrenta-se a vida de fio a pavio
navega-se sem mar, sem vela ou navio
bebe-se a coragem até dum copo vazio
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida

E entretanto o tempo fez cinza da brasa
e outra maré cheia virá da maré vazia
nasce um novo dia e no braço outra asa
brinda-se aos amores com o vinho da casa
e vem-nos à memória uma frase batida
hoje é o primeiro dia do resto da tua vida.

Bom sábado e boa música.